Notícias   



Copasa emite alerta em relação a abastecimento de água em Paracatu

Aumentar o texto: A- | A+
Cidade passa por crise hídrica em consequência da baixa vazão do Ribeirão Santa Isabel. Audiências públicas têm sido realizadas e algumas medidas sendo tomadas.

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) emitiu um comunicado para alertar os moradores de Paracatu, no Noroeste do estado, sobre o abastecimento de água. A cidade passa por uma crise hídrica, consequência da baixa vazão do Ribeirão Santa Isabel. Várias audiências públicas têm sido realizadas para discutir o caso. Na noite quarta-feira (25), a companhia realizou mais uma coletiva para esclarecer a situação. O G1 entrou em contato com a assessoria para saber sobre o assunto, mas ninguém retornou até a publicação desta reportagem.
No alerta, a Copasa solicita aos moradores que, ao serem abastecidos por caminhões-pipa, certifiquem-se que o veículo esteja identificado com a frase: "À serviço da Copasa". A água distribuída por caminhões da empresa é gratuita.
Além disso, segundo o comunicado, a Copasa pede que os moradores fiquem atentos com os vasilhames onde estão armazenando a água recebida. Eles devem estar desinfetados e mantidos tampados para evitar a contaminação da água e a proliferação de mosquitos.
Audiências públicas
Em uma audiência pública no dia 26 de setembro, a população presente e vereadores cobraram mais investimentos da companhia no Município. De acordo com a assessoria do Executivo, o contrato que foi renovado em 2010 apresentava um relatório que dizia que o Rio Santa Isabel seria suficiente para abastecer a cidade até 2027. Contudo, desde que foi decretado estado de calamidade pública, no dia 18 de setembro, em alguns bairros a água é ofertada apenas durante quatro horas por dia.
Após isso, outra audiência foi realizada em 19 de outubro, com a da Comissão de Administração da Câmara e a Copasa. Nela, a comissão cobrou medidas emergenciais da Companhia e do Município para solucionar ou minimizar a crise hídrica pela qual passa a cidade.
No dia, em nota ao G1, a empresa informou que estava providenciando a contratação de mais caminhões-pipa para minimizar os impactos no abastecimento. A companhia disse, também, que estava desenvolvendo um projeto de construção de um reservatório de acumulação, que ficará próximo ao Ribeirão Santa Izabel e vai permitir uma reserva estratégica de água para garantir o abastecimento durante os períodos de estiagem. A previsão é de que o trabalho seja concluído nos próximos meses.
Além disso, a Copasa anunciou o início de trabalhos mais intensos de abastecimento, onde vai promover alterações no sistema de rodízio, para garantir o fornecimento de água em todas as regiões da cidade.

Rodízio
A Copasa começou no dia 1º de setembro a adotar um rodízio para o abastecimento nos bairros da cidade, em consequência da baixa vazão do Ribeirão Santa Isabel no período de estiagem. Para minimizar a situação, a companhia buscou um caminhão-pipa com água potável em João Pinheiro para abastecer o reservatório.

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: www.g1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  07-11-2017 Moradores fecham trecho da BR-020 no Ceará após distrito ficar sem abastecimento de água.
  07-11-2017 Avanços na ciência e tecnologia diminuíram os custos do pré-sal brasileiro e aumentaram a competitividade, afirma especialista.
  01-11-2017 Crise hídrica em Pedro II foi tema de audiência no MP-PI.
  26-10-2017 Copasa emite alerta em relação a abastecimento de água em Paracatu.
  16-10-2017 Mesmo com poços artesianos, parte da população de São Mateus continua recebendo água salgada.
  16-10-2017 Após 15 dias suspenso, rodízio no abastecimento de água volta a ser adotado em Formiga.

 

Parceiros


Publicidade