Ir para o conteúdo
Perfuradores.com - Perfuração, Poço, Artesiano, Monitoramento, Sondagem, Mineração, Horizontal e Pertróleo
Central de Cotações Gratuitas  |  Classificados  |  Balcão de Empregos  |  Negócios

Manutenção de Poços   

Foto da ilustração: Leandro A Luciano/Hidrotec Poços Artesianos
Problema identificado: Obstrução da tubulação por ferro-bactérias.

Programa de Manutenção
Preventiva e Corretiva

:: Diretrizes da manutenção preventiva

A implantação de um programa de manutenção preventiva requer uma estreita articulação com as atividades de operação. A avaliação sistemática dos dados de operação de poços conduz a previsão de problemas que poderão acontecer no sistema e conseqüentemente indicação de pistas e alertas para o setor de manutenção preventiva forem programadas em correspondência com as de operação, será possível diagnosticar a causa do problema e efetuar a correção adequada no devido tempo. Na tabela nº 10- Sumário do programa de manutenção preventiva, são indicadas as atividades essenciais de manutenção a serem desenvolvidas de forma sistemática.

12.1. Infraestrutura e equipamentos

Um serviço de manutenção convenientemente estruturado necessita de infraestrutura compatível com a quantidade e distribuição das unidades em exploração, de modo a garantir a continuidade e eficiência do funcionamento do sistema. São partes essenciais da infraestrutura:

* equipamentos de medição e controle, de instalação permanente ou de uso eventual, junto a cada unidade de bombeamento;
* conjuntos motor-bomba de reserva e peças essenciais de reposição;
* unidades volantes de manutenção, devidamente equipadas;
* serviços de suprimento, baseado em almoxarifado;
* oficina eletromecânica;
* serviço de comunicação.

Os equipamentos de medição e controle foram especificados anteriormente, abrangendo os de instalação permanente e os de uso intermitente ou eventual.

A previsão e dotação do estoque necessário de conjuntos motor-bomba de reserva e de peças essenciais de reposição depende da quantidade de unidades instaladas, do tipo de equipamento e da intensidade de operação de cada unidade, não podendo, portanto, estar sujeita a uma norma geral. Num campo de poços de poços é recomendável, sobretudo, instalar conjuntos de tipo similar, de modo a tornar mais flexível o estoque de peças de reposição e ter menos problemas de operação e manutenção. Além disso, é conveniente dispor de um ou mais conjuntos de reserva, para fazer, face a situações de emergências.

Porém, estes conjuntos de reserva não devem ficar armazenados e inativos; devem prestar serviços em constante rodízio com os demais. Em sistemas maiores ou nos casos em que os poços se acham distribuídos em vários municípios será necessário dispor de almoxarifados convenientemente localizados, dotados de estoque de peças essenciais de reposição. Estas peças ou partes de bomba são as que sofrem desgaste mais rapidamente, de acordo com o tipo de bomba; em geral, incluem rotores, rolamentos, gaxetas, juntas e acoplamentos, segmentos de eixo, injetores e válvulas de pé.

Sumário do programa de manutenção preventiva
Inspeções e atividades freqüência Diária Mesal Semestral

Anual

* Tempo de funcionamento do conjunto X
   
* Volume extraído X      
* Consumo de energia ou combustível X      
* Condições de trabalho do conjunto
X      
* Inspeção e serviços   X X X
* Interpretação de dados   X   X
* Avaliação do desempenho do sistema
      X

Os serviços de manutenção de um campo de poços podem ser feitos com maior eficiência e agilidade se forem estruturadas uma ou mais unidades volante de manutenção, dotadas de pessoal apropriado e dos equipamentos, ferramentas e materiais necessários. Uma unidade volante constitui-se de veículo adaptado, com instalação permanente dos seguintes equipamentos:

• tripé metálico ou torre
• talha ou guincho
• morsa sobre bancada
• chaves grifos de vários tamanhos
• tarrachas para tubos
• jogo de chave de brocas
• corta-frio
• cortador de tubos
• jogo de chave de fenda
• serra manual de metal
• abraçadeira de tubos
• vedantes de conexões
• peças várias de reposição
• máquina de solda e oxiacetileno

Quando os poços em operação distribuem-se por áreas extensas, abrangendo várias localidades, é conveniente estruturar, além do almoxarifado central e de uma oficina eletromecânica, núcleos descentralizados de manutenção de modo a garantir pronto atendimento aos problemas apresentados nas correspondentes áreas de atuação.

Este esquema de apoio logístico já é realizado com eficiência em alguns estados. Cada núcleo de manutenção, responsável por um determinado número de localidades, é auto suficiente para os serviços de rotina, contando com pequeno almoxarifado e oficina e com uma ou mais equipes ou patrulhas de manutenção que percorrem sistematicamente os poços, sob a coordenação de um profissional experiente; cada patrulha é composta por um eletricista e um mecânico e a unidade volante dispõe de serviço de rádio.

12.2. Inspeções

Um programa de manutenção preventiva deve incluir os serviços e verificações de rotina e inspeções periódicas nas unidades de bombeamento.

As atividades de rotina consistem em fazer a verificação geral do bom funcionamento do sistema em cada turno de bombeamento, em manter sempre limpa a casa de máquina e cuidar do saneamento da área em torno do poço. Em cada unidade de bombeamento o encarregado de manutenção cuidará de:

• manter perfeita limpeza nas proximidades do poço, evitando jogar lixo, restos de óleo, estopas usadas e tudo que possa resultar em foco de contaminação;
• evitar a qualquer custo que óleo, detritos ou objetos caiam dentro do poço;
• manter a limpeza e boa aparência da casa de maquinas, da bomba, motor e quadro de comando;
• inspecionar as tubulações e conexões, evitando qualquer tipo de água;
• observar o aquecimento do motor pelo toque manual ou pela leitura dos instrumentos no quadro de comando (corrente alta);
• verificar as peças de proteção do sistema no quadro (fusíveis, relés); no caso de bomba submersa, manter o relé de nível sempre limpo e isento de umidade;
• escutar possíveis ruídos ou vibrações anormais da bomba dentro do poço, especialmente no momento da partida;
• verificar, no quadro de comando, a tenso e a corrente de trabalho e, no manômetro, a pressão hidráulica do sistema;
• observar se a água bombeada contém areia ou torna-se turva,;
• não esquecer de anotar na ficha diária toda e qualquer anormalidade observada.

As inspeções periódicas e gerais nas unidades de bombeamento devem ter programação compatível com a intensidade de operação e o tipo de equipamento instalado. Não se pode recomendar, evidentemente, os mesmos períodos de inspeção tanto para equipamento instalado. Não se pode recomendar, evidentemente, os mesmos períodos de inspeção tanto para equipamentos que trabalham poucas horas por dia como para os que trabalham de 20 a 24 horas diárias.

12.3. Processamento e Controle de Dados

O controle diário de manutenção deve ser entendido como a observação das condições de funcionamento do sistema poço-bomba, não se limitando, portanto, à simples inspeção do conjunto de bombeamento. Para efetuar este controle sugere-se por conveniência e maior fidelidade no registro de medidas, leituras e observações, manter duas fichas distintas e complementares, que são.

• ficha de controle diário de operação
• ficha de controle diário de manutenção

A ficha de controle diário de operação destina -se principalmente ao registro dos dados hidráulicos do poço, ou seja, as medidas de níveis de água, vazão e volume total produzido. A ficha de controle diário de manutenção é destinada ao registro das condições de funcionamento do sistema, das ocorrências observadas e dos serviços efetuados.

Instruções gerais para inspeção de conjuntos de bombeamento
Período Inspeção
Mensal * Verificar o bom alinhamento da bomba em relação ao motor
*Reapertar as gaxetas da bomba, se necessário
* Verificar, por toque manual, se a temperatura dos mancais está acima do normal, se isso ocorrer, é sinal que os rolamentos estão com falta ou excesso de graxa.

Semestral

* Verificar o bom alinhamento do conjunto motor-bomba
* Renovar as gaxetas
* Examinar o eixo da bomba no local das gaxetas; se houver estrias
as gaxetas novas podem se estragar rapidamente
* Verificar se a tubulação está fazendo pressão sobre a bomba, o que
não deve acontecer.
* Verificar e testar a pressão da bomba, por meio de manômetro
Anual

* Examinar se as borrachas das uniões “Dresser” estão danificadas
* Retirar a bomba do poço, desmonta-la e fazer a revisão geral;
*Substituir as peças desgastadas ou danificadas; fazer limpeza completa dos rotores ou pistões e demais partes internas da bomba.
* Renovar lubrificação dos mancais
* Limpar a válvula de retenção e a válvula de pé
* Em bombas de motor submerso, verificar a água do motor e os selos
* Em bombas de eixo prolongado, examinar os mancais e o alinhamento dos eixos
* Em bombas a ar comprimido, examinar os tubos e conexões de ar e de água e limpar o injetor
* Fazer teste expedito de eficiência do conjunto


A ficha de manutenção inclui elementos de identificação do poço, características do conjunto de bombeamento instalado, quadro para anotações de leituras e ocorrências, espaços para registrar serviços ou reparos executados. A mesma ficha é apresentada em três variantes, de acordo com o equipamento instalado, a saber:

• poço com equipamento motor compressor;
• poço com bomba de motor elétrico;
• poço com bomba de motor de combustão interna;

O controle mensal de manutenção deve ser feito por um supervisor capacitado que fará inspeções em cada unidade de bombeamento, e a partir das informações do registro diário fará uma síntese do desempenho do sistema.

A ficha modelo para processamento mensal dos dados de manutenção inclui elementos de identificação da unidade de bombeamento; totais mensais referentes a números de dias de funcionamento, números de horas de operação, volume de água extraído, energia consumida e vazão média; diagrama para acompanhamento de gráfico dos dados mensais referentes a consumo de energia e volume de água produzido; campo para especificação dos serviços de manutenção executados durante o mês e espaço para observações gerais e recomendações. Para o preenchimento da ficha é necessário e recomendável recorrer aos dados da operação, o que requer um trabalho conjunto dos supervisores responsáveis, de modo a manter o controle atualizado e coerente.

O controle anual de manutenção consiste em fazer inspeção geral no sistema poço - bomba analisar e interpretar os dados e informações do registro diário e mensal e avaliar desempenho do sistema.

A inspeção geral do sistema, realizada em simultaneidade com as atividades previstas no programa de operação, consiste em:

• Retirar a bomba do poço e fazer a revisão geral do conjunto motor-bomba.
• Procedendo os reparos necessários;
• Medir a profundidade real do poço;
• Executar serviços de limpeza ou recondicionamento do poço, se necessário;
• Reinstalar a bomba e fazer teste expedido de eficiência do conjunto.

Na avaliação de desempenho do sistema poço-bomba torna-se imprescindível o enlace operação-manutenção, de modo a elaborar uma lista de prováveis problemas que poderão ocorrer nos anos seguintes, classificando-os de acordo com os fatores que possam vir e afetar o sistema, ou seja: os fatores naturais, os fatores ligados às características de construção do poço e os fatores decorrentes do grau de eficiência do conjunto de bombeamento. Uma vez feita a avaliação de conjunto do sistema, os coordenadores terão de revisar os programas iniciais orientando, agora, as atividades de operação e manutenção de modo mais seguro, posto que já existe uma história documentada.

Autor: Geólogo Eugênio Pereira - System Mud Indústria e Comércio Ltda.
Referência Bibliográfica: Água Subterrânea e Poços Tubulares - CETESB 1974, Manual de Operação e Manutenção de Poços- DAEE - 1982.


© Perfuradores.com. Todos os direitos reservados
Política de Uso do Portal