Notícias   



Moradores sofrem com falhas no abastecimento de água em Fátima

Aumentar o texto: A- | A+
Uma creche da cidade é abastecida com caminhão pipa há três meses.
Apesar da falta por longos períodos, população paga caro pelo serviço.

Os moradores de Fátima estão sofrendo com a falhas no abastecimento de água na cidade. O problema vem sendo mostrado desde agosto desse ano. Apesar de falta por longos períodos, a população recebe cobranças caras pelo serviço.
A estudante Adriana Santos diz que precisa comprar 40 litros de água mineral por dia para usar nos afazeres de casa e também na higiene pessoal da família. Ela mora com mais três pessoas e ainda cuida da filha de 9 anos que é portadora de necessidades especiais.
"Todos os dias está essa falta de água. Não tem para lavar vasilha, para fazer almoço, para tomar banho, para nada", reclama.
Sem ter abastecimento o dia todo, ela também reclama do preço da conta de água. "Pago um absurdo. Todo mês pago mais de R$ 100 e não tem água."
A comerciante Amanda Pereira passa pelo mesmo problema. Ela conta que a água só vem pela madrugada e durante 1h, por isso armazena em um tambor para não ficar sem o resto dia. "Eu tenho um tambor onde guardo a água porque tem dias que não dá para nada. A água vem uma vez por dia."
Creches e escolas
Diretores de escola também se queixaram da carência no abastecimento. Nas escolas, a falta d'água continua.
Uma creche da cidade é abastecida com caminhão pipa há três meses. Sem isso mais de 180 crianças ficariam sem água.

A coordenadora da creche Maria Pereira diz que o muncípio já chegou a ter que comprar água mineral. "A gente busca água para as crianças beberem. As vezes a gente fica sem e pega com os vizinhos."
Em uma escola não há água para lavar os banheiros. As crianças tentam encher as garrafas com o pouco que chega aos bebedouros. "Após o lanche, sempre falta água. Então as crianças que não trazem as garrafinhas para encher antes ficam com sede", conta a professora Lidiane Teixeira.
Na escola eram servidos até três lanches por dia, mas um chegou a ser suspenso por falta de água para preparar as refeições. A situação foi normalizada, mas a direção não sabe por quanto tempo. Isso quer dizer que a qualquer momento, mais de 380 estudantes podem ficar sem merenda. "Se ficar sem merenda tem que liberar as crianças", afirma a coordenadora da creche Maria Pereira.
Resposta
A Agência Tocantinense de Saneamento disse que já está trabalhando para amenizar os problemas da falta de água em Fátima. Dois poços artesianos recebem manutenção e o mesmo serviço será feito com outros nove poços existentes na cidade. A meta é aumentar a vazão e a pressão para melhorar o fornecimento.
Segundo a ATS, esse racionamento é consequência da forte estiagem e a quantidade de chuva ainda não foi suficiente para aumentar a vazão dos poços, além dos vazamentos na rede que chegam até as casas. Uma equipe de técnicos já está na cidade para fazer as obras de manutenção.

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: G1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  12-01-2018 Seca leva 16 municípios do RN a colapso no abastecimento de água.
  08-01-2018 Copasa quer fazer chover no Norte de Minas: entenda como.
  04-01-2018 Água Branca firma convênio com a FUNASA para abastecimento de água.
  04-01-2018 Lagoa do Barro do Piauí é beneficiada com perfuração de Poços Tubulares.
  26-12-2017 Calor e escassez de chuva afetam abastecimento de água em cidades da Região da Campanha do RS.
  13-12-2017 Convênio Com A Cohidro Garante Perfuração De Três Poços Em Maruim.

 

Parceiros


Publicidade