Notícias   



Marconi aciona sistema que garantirá abastecimento de água para Goiânia e Aparecida até 2040

Aumentar o texto: A- | A+
Governador põe em pré-operação o novo sistema de abastecimento de água de Goiânia e Aparecida de Goiânia que deve ser inaugurado em março de 2017

Uma das obras mais emblemáticas, complexas e estratégicas do governo estadual - o Sistema Produtor Mauro Borges – entrou hoje em regime de pré-operação. O governador Marconi Perillo acionou os botões do sistema de bombeamento da Barragem do Ribeirão João Leite até a Estação Elevatória de Água Bruta e de lá para a Estação de Tratamento de Água, no Setor Negrão de Lima. A previsão é de que o complexo entre em operação definitiva em 31 de março de 2017. Vai atender Goiânia e Aparecida de Goiânia, garantindo a oferta de água tratada até o ano de 2040. O Sistema Produtor Meia Ponte, que atualmente atende a população da Capital, será direcionado para as cidades de Trindade e Goianira.

O teste de hoje, feito pessoalmente pelo governador, é o que os técnicos chamam de “operação assistida”, quando todo o sistema de bombeamento e canalização é testado, com a finalidade de identificar algum vazamento ou perda de pressão. Projetado para produzir 21,6 milhões de litros de água por hora, o complexo irá praticamente duplicar a capacidade de produção atual.

O governo estadual, em parceria com o federal e organismos financeiros internacionais, investiu, até agora, R$ 1 bilhão na obra, realizada em duas etapas. A primeira foi a construção da Barragem do Ribeirão João Leite, que proporciona o armazenamento de 130 bilhões de litros de água, numa área que compreende a Estação Elevatória de Água Bruta, a Estação de Tratamento de Água e milhares metros de adutoras e redes de distribuição, na região Norte de Goiânia. A segunda etapa prevê a distribuição para as elevatórias já construídas em Goiânia e Aparecida de Goiânia.

“Hoje é um dia de muita alegria, de muita emoção”, afirmou o governador na solenidade que marcou o acionamento do sistema, realizada no prédio onde foram instaladas as bombas, próximo vertedouro da barragem. Marconi fez uma saudação à memória de dois ex-presidentes da Saneago, – Geraldo Félix e João Guimarães Barros – entusiastas da obra. Também fez referência ao diretor João Ubaldo, um dos diretores da empresa que mais trabalharam pela construção do Sistema Mauro Borges. “Este não foi um sonho sonhado a sós, mas um sonho de muitos”, afirmou Marconi, que também lembrou o empenho do então ministro Ovídio de Ângelis para a liberação dos primeiros recursos, que possibilitaram o início da obra.

Na solenidade, ele contou que, para garantir empréstimo junto Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), teve de recorrer a uma liminar do STJ, expedida pelo ministro Costa Leite, e que contou com apoio do então presidente Fernando Henrique Cardoso e do então ministro da Fazenda, Pedro Malan. “Foi um longo caminho percorrido, tortuoso, íngreme, difícil”, observou Marconi, ressaltando que houve uma espécie de “operação combinada” com FHC e Malan, para garantir que Goiás tivesse acesso ao empréstimo externo.

Na avaliação de Marconi, não há dúvida de que o Sistema Produtor Mauro Borges é uma “obra gigantesca, fundamental para o futuro de Goiás”. Para ele, é importante planejar o futuro do novo sistema, com possibilidade de ampliação da oferta de água tratada em Goiânia e Região Metropolitana da Capital até o ano de 2080. Com a entrada em operação do complexo, prevê o governador, Goiânia não terá problema de abastecimento, como teve a população de São Paulo, que sofreu há dois anos por causa da escassez hídrica.

Além do grande impacto social, a obra, afirmou Marconi, representa uma verdadeira “revolução” no saneamento em Goiás, além de agregar valor ao trabalho realizado pela Saneago, empresa criada em 1967 pelo governador Mauro Borges. “Esse é o momento mais emblemático da história da Saneago”, arrematou.

Obra gigante – A Estação de Tratamento de Água do Sistema Produtor Mauro Borges é dotada dos mais modernos equipamentos usados no saneamento urbano. A unidade é totalmente automatizada, controlada a partir de um Centro de Comando Operacional.

Em função da posição geográfica privilegiada, a ETA Governador Mauro Borges conseguirá levar água por gravidade a 80% dos bairros de Goiânia, com possibilidade de vazão de 21,6 milhões de litros de água tratada por hora. Serão dois reservatórios com capacidade para armazenar 40 milhões de litros de água, prontos para serem distribuídos à população.

Participaram da solenidade de “pré-operação” Sistema Produtor Mauro Borges o presidente da Saneago, José Carlos Siqueira, os secretários Vilmar Rocha (Secima), Lêda Borges (Secretaria Cidadã), diretores e funcionários da empresa.

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: www.emaisgoias.com.br  

 » Notícias Relacionadas

  20-04-2018 Estiagem deixa 48,3% dos municípios do Ceará em situação de emergência.
  16-04-2018 Copasa dá início à perfuração de poços artesianos para suprir demanda nas ‘Chácaras Neguta’.
  16-04-2018 Abastecimento de água será suspenso na quinta em todos os bairros de Fortaleza e mais 4 municípios.
  03-04-2018 Abastecimento de água será interrompido em 59 pontos de Manaus nesta quarta (4).
  22-03-2018 No Dia Mundial da Água, fórum discute como lidar com a falta dela.
  22-03-2018 No Dia Mundial da Água, volume do Descoberto supera 70% e bate recordes.

 

Parceiros


Publicidade