Notícias   



Diretor da Agerh prevê 'tranquilidade' em abastecimento de água no verão

Aumentar o texto: A- | A+
Não há previsão de rodízio de água, de acordo com o diretor Paulo Paim.
Níveis dos rios Jucu e Santa Maria estão dentro da normalidade.

Neste verão, o Espírito Santo não deve enfrentar grandes problemas de abastecimento de água, conforme prevê o diretor-presidente da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Paulo Paim. As chuvas dos últimos dois meses colaboraram para que a situação mudasse nos rios Jucu e Santa Maria.
“Os nossos rios estão completamente diferentes do que na mesma época de 2015. Se as previsões permanecerem como estão, janeiro com chuvas normais, e mantendo os hábitos de evitar o desperdício no campo e na cidade, passaremos o verão com muita tranquilidade. Essa normalidade deve se estender até outubro do ano que vem, quando virão as chuvas novamente", afirmou.
De acordo com Paim, não será necessário o racionamento de água nos próximos meses. "Do ponto de vista da disponibilidade de água, a situação a se enfrentar é diferente. Isso garante tranquilidade aos órgãos de abastecimento, de que a população será abastecida. E nós, por outro lado, teremos a tranquilidade de que não vamos ter rodízio", explicou.

Rio Jucu e Rio Santa Maria
O monitoramento da Agerh mostra que o nível do Rio Jucu voltou a subir. “Nós estamos vivendo uma situação de normalidade. O Rio Jucu está em uma situação normal".
Ainda segundo Paulo Paim, a normalidade do Rio Santa Maria é administrada. "A Barragem Rio Bonito, em Santa Maria de Jetibá, tem prioridade para o abastecimento humano. Não podemos deixar o reservatório encher demais, porque acaba criando problemas no município de Santa Leopoldina", ressaltou.
Estado crítico
Após chuvas regulares, a Agerh decidiu suspender a resolução que criava os municípios em estado extremamente crítico por conta do longo período de estiagem.
"Hoje, não existe mais municípios em estado crítico. As regras de exceção vão dar lugar ao estado de atenção. A nova fórmula de enfrentar a disponibilidade de água no campo e na cidade, é economizar", afirmou Paim.

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: G1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  16-10-2018 No AP, Macapaba 1 pode ficar sem abastecimento de água por até 48 horas.
  10-10-2018 Estudo retrata pressão da mineração sobre áreas protegidas.
  09-10-2018 Obra na ETA irá duplicar capacidade de abastecimento de água.
  03-10-2018 Abastecimento de água em Goiânia não será afetado graças a gestão hídrica, diz Secima.
  26-09-2018 Samae pede ajuda da população para restabelecer abastecimento de água.
  21-09-2018 Estado realiza perfuração de poços em diversas regiões.

 

Parceiros


Publicidade