Notícias   



Antônio D. Benetti: o abastecimento de água potável no Brasil

Aumentar o texto: A- | A+
Professor de saneamento do IPH-UFRGS

Água contaminada causa doenças e mortes. Por isso, o abastecimento de água potável à população é uma medida básica de saúde pública, devendo estar entre as prioridades dos governos. Intervenções em abastecimento de água e coleta de esgotos apresentam alto retorno econômico em termos de prevenção de doenças, de mortes evitáveis, de aumento da produtividade e na redução de custos do sistema de saúde. Dependendo do contexto, os benefícios variam entre R$ 5 e R$ 45 para cada R$ 1 de investimento.

De acordo com dados oficiais, 35 milhões de brasileiros não têm acesso à rede de abastecimento de água em suas residências, estando em situação de vulnerabilidade. Considerando a população que enfrenta racionamentos de água e interrupções frequentes no abastecimento, estima-se que 70 milhões de brasileiros não têm acesso continuado a água potável. É uma situação bastante preocupante em termos de saúde pública.

Uma característica relevante nos sistemas de distribuição de água nas cidades brasileiras é a alta perda de água existente. Cerca de 40% do que é produzido nas estações de tratamento de água não chega às torneiras dos consumidores devido às falhas existentes nos sistemas de distribuição. Na Holanda, as perdas de água são de apenas 2,5%.

Os investimentos para melhoria e ampliação dos sistemas de distribuição e tratamento de água são insuficientes no Brasil. Estimativas do Plano Nacional de Saneamento Básico indicavam serem necessários R$ 122 bilhões entre os anos de 2014 e 2033 para universalizar o acesso a água potável no Brasil. Deltan Dallagnol, procurador da Operação Lava-Jato, estima que R$ 200 bilhões são desviados anualmente pela corrupção no Brasil. Portanto, o dinheiro desviado em apenas um ano seria suficiente para prover água potável a toda a população brasileira. Para atender a toda a demanda de saneamento básico – água, esgoto, resíduos e drenagem urbana –, seriam necessários R$ 508 bilhões, valor inferior ao desviado por corrupção em menos de três anos. A qualidade da água potável depende do saneamento básico. A corrupção está matando brasileiros.

Leia mais em:
Fonte: zh.clicrbs.com.br  

 » Notícias Relacionadas

  18-07-2018 5,6 mil litros de água por segundo serão captados de Corumbá IV em 2019.
  18-07-2018 Falha em adutora prejudica abastecimento de água para 140 mil pessoas em Bauru.
  12-07-2018 Lagoas de VV serão usadas para abastecimento de água em períodos de estiagem.
  11-07-2018 João Grandão solicita perfuração de poços artesianos na Aldeia Limão Verde.
  10-07-2018 Prefeitura de Lagoinha do Piauí realiza obra para regularizar o abastecimento d’água.
  10-07-2018 Nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul é pior dos últimos três anos.

 

Parceiros


Publicidade