Notícias   



Água para beber da torneira

Aumentar o texto: A- | A+
Cesan garante que a qualidade da água que chega às residências é própria para consumo

A qualidade da água que sai na torneira da sua casa está pronta para beber. É o que afirma a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan). Após ser captada nos rios, a água passa por um rigoroso processo de limpeza que a deixa pronta para o consumo humano. E para que a qualidade da água seja mantida o cidadão precisa manter o reservatório de água sempre muito limpo.
“A água distribuída pela CESAN atende ao padrão de potabilidade estabelecido pelo Ministério da Saúde (Portaria MS 2914/11). Isto significa que a água entregue à população está pronta para o uso, inclusive o mais nobre que é beber/ingerir. Cabendo destacar o benefício do flúor que é adicionado à água, o que contribui para prevenção/redução da incidência da cárie dental”, explica Elza Abreu, gerente de Meio Ambiente da Cesan.
Elza ressalta que consumir a água tratada pela Cesan elimina o risco de contrair doenças de veiculação hídrica, que o residual de cloro livre, presente na água distribuída, é necessário e importante para manutenção da desinfecção ao longo das redes de distribuição e reservatórios. Isso porque, diariamente, a Companhia faz o controle da qualidade da água desde o momento em que ela é captada no manancial, quando chega e sai da Estação de Tratamento e também em pontos estratégicos das redes, onde amostras são coletadas para análises físico-químicas e bacteriológicas.
No controle da qualidade são realizadas análises de todos os parâmetros previstos na legislação de saúde, tanto parâmetros de aceitação, efeito estético, como gosto, odor, cor, ferro e turbidez, bem como os parâmetros de efeito à saúde, como os metais pesados e substâncias orgânicas, incluindo os agrotóxicos.

Confira como é feito o tratamento da água
1. A água é captada nos mananciais;

2. Após a captação, a água passa pelo processo de coagulação. Aqui é adicionado um agente químico para aglutinar partículas de sujeira, como o sulfato de alumínio ou policloreto de alumínio, por exemplo;

3. O próximo passo é a floculação, quando partículas maiores unem-se formando flocos dentro dos tanques;

4. Em seguida, a água é submetida à decantação, quando as partículas aglutinadas de sujeira vão para o fundo do tanque por ação da gravidade, permitindo que ela seja separada da água. A água da superfície é então direcionada para o processo de filtração;

5. O próximo passo é a filtração, quando a água passa por filtros com camadas de cascalho, areia e carvão mineral;

6. Na cloração, micro-organismos são removidos da água por meio da aplicação do cloro. Essa parte é importante, porque reduz a possibilidade de surgimento de doenças de veiculação hídrica na população;

7. A fluoretação é a adição de ácido fluossilícico, que ajuda a prevenir a incidência de cáries na população;

8. Por fim, a água é submetida à alcalinização, que corrige o PH da água com cal hidratada, reduzindo a acidez para o padrão recomendado pela legislação vigente (Portaria 2.914/11 do Ministério da Saúde).

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: G1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  12-01-2018 Seca leva 16 municípios do RN a colapso no abastecimento de água.
  08-01-2018 Copasa quer fazer chover no Norte de Minas: entenda como.
  04-01-2018 Água Branca firma convênio com a FUNASA para abastecimento de água.
  04-01-2018 Lagoa do Barro do Piauí é beneficiada com perfuração de Poços Tubulares.
  26-12-2017 Calor e escassez de chuva afetam abastecimento de água em cidades da Região da Campanha do RS.
  13-12-2017 Convênio Com A Cohidro Garante Perfuração De Três Poços Em Maruim.

 

Parceiros


Publicidade