Notícias   



Interpa discute limites geográficos em áreas de mineração no oeste do Pará

Aumentar o texto: A- | A+
Municípios de Faro, Oriximiná e Terra Santa possuem áreas de mineração.
Reunião visa garantir a compensação financeira da exploração de minérios.

O Instituto de Terras do Pará (Interpa) e a Mineração Rio do Norte (MRN) se reuniram na quinta-feira (16) para discutir dos limites geográficos nas áreas de mineração nos municípios de Faro, Oriximiná e Terra Santa, no oeste do Pará. A proposta é que até o fim do mês de março um termo de cooperação técnica seja assinado, o que irá garantir a compensação financeira à região pela exploração dos minérios.

Além de explicar os termos do futuro acordo, o Interpa tem a responsabilidade de materializar, nos terrenos, os limites já estabelecidos em lei, o que vai assegurar aos municípios o repasse pela empresa da compensação a que cada um tem direito. Dentre os assuntos debatidos, sobre a delimitação dessas áreas, há um trecho compreendido pelos platôs Bela Cruz Aramã, Cipó, Escalante, Rebolado, Jamari e Cruz Alta, que entrarão em fase de exploração.
O objetivo é solicitar a colaboração do instituto de terras para demarcar com êxito os platôs e definir as áreas que pertencem a cada município. Para viabilizar os trabalhos de materialização da linha divisória entre os municípios, as prefeituras e a empresa vão elaborar um plano de ação operacional, que deverá estar de acordo com a legislação de terras em vigor e ser aprovado pelo Iterpa.

Leia mais em:
Fonte: G1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  18-07-2018 5,6 mil litros de água por segundo serão captados de Corumbá IV em 2019.
  18-07-2018 Falha em adutora prejudica abastecimento de água para 140 mil pessoas em Bauru.
  12-07-2018 Lagoas de VV serão usadas para abastecimento de água em períodos de estiagem.
  11-07-2018 João Grandão solicita perfuração de poços artesianos na Aldeia Limão Verde.
  10-07-2018 Prefeitura de Lagoinha do Piauí realiza obra para regularizar o abastecimento d’água.
  10-07-2018 Nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul é pior dos últimos três anos.

 

Parceiros


Publicidade